21/11/2017 23:33

Projeto 12:30 encerra a programação do ano com show da banda Calafate, dia 22/11. Gratuito e aberto à comunidade. Clic na imagem saiba mais.

Teatro da UFSC recebe a peça ‘Isto não é uma fábula’, da Cia duZEUSes, com alunos de Artes Cênicas

21/11/2017 23:22

.

A peça teve estreia recente na Universidade, em novembro, quando foi apresentada no Projeto Experimenta, e agora estará no Teatro da UFSC.

O palco do Teatro da UFSC (ao lado da igrejinha) recebe a peça ‘Isto não é uma fábula’ da Cia duZeuses. O espetáculo é uma adaptação de ‘A Raposa e as Uvas’, do dramaturgo brasileiro Guilherme Figueiredo e será apresentado por graduandos do Curso de Artes Cênicas da UFSC. A apresentação acontece em dois finais de semana – nos dias 25 e 26 de novembro e nos dias 02 e 03 de dezembro, às 20 horas. A entrada é gratuita e aberta à comunidade. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início da apresentação da peça.

Sinopse

A peça “Isto não é uma Fábula” se passa na cidade de Samos, na Grécia antiga. O escravo Esopo, contador de fábulas, é dado por um mercador ao filósofo Xantós. A aspiração maior de Esopo é obter sua liberdade. Para isso, ele livra seu dono de várias complicações com a promessa de que será libertado. Xantós, porém, se mostra um tirano e recusa-se a lhe dar a liberdade. Sem jamais abandonar seus princípios éticos e morais, Esopo luta por sua liberdade e confere a ela um valor inegociável.

Para os integrantes da companhia teatral, a peça evidencia questionamentos: Se mesmo na Grécia antiga, berço da democracia, havia tirania e arbitrariedade, o que dizer dos acontecimentos recentes que testemunhamos, no Brasil e nos países democráticos no mundo, que não espelham uma sociedade livre na qual o direito de liberdade individual é amplamente garantido? O que nos torna escravos hoje? Até onde você iria para garantir sua liberdade?

A Companhia, o autor e a montagem

A Cia duZEUSes (corruptela de “dos deuses”) surgiu do interesse de alguns graduandos do Curso de Bacharelado em Artes Cênicas da UFSC (vinculado ao Departamento de Artes, do Centro de Comunicação e Expressão), em aprofundar e pôr em prática o conhecimento adquirido nas disciplinas cursadas nas fases iniciais do curso. A partir de agosto de 2016, os membros da Companhia espontaneamente iniciaram uma pesquisa sobre dramaturgos brasileiros que produziram obras que fizessem referência aos textos gregos clássicos. O resultado surpreendeu a maioria dos membros da Companhia ao tomar conhecimento do texto ‘A Raposa e as Uvas’, de Guilherme Figueiredo. O inusitado está no fato do autor ser irmão do General João Baptista Figueiredo que governou o Brasil durante a ditadura militar. Guilherme de Oliveira Figueiredo foi autor, tradutor e um premiado dramaturgo na década de 1950. Suas obras geralmente retratam temas mitológicos através de uma abordagem cômica. Teve suas peças montadas por grandes companhias, diretores e atores do teatro brasileiro. Dentre suas obras dramatúrgicas, esta é a mais conhecida e premiada, tendo sido também aclamada internacionalmente.

Montagem

A montagem do espetáculo integra um projeto de extensão, sob orientação do Prof. Dr. Luiz Fernando Pereira (LF), que prioriza a utilização de materiais recicláveis e reaproveitáveis para a construção de cenários, figurinos e adereços. Foram feitas pesquisas a respeito da durabilidade desses materiais para que sigam fiéis ao seu propósito, no caso de um espetáculo cumprir uma longa temporada. Garrafas pet, embalagens tetra-Pack, papelão, filtros e embalagens de café, embalagens de manteiga, rolos de fitas, de tecidos, mangueiras descartadas e outros, estão na lista dos materiais utilizados pela Cia duZEUSes. O Projeto de Extensão será concluído em março de 2018 com a realização de 2 oficinas para partilhar as descobertas do grupo relacionadas ao uso desses materiais, e, assim, difundir conhecimento que possa tornar mais acessível a produção de espetáculos,  a custos reduzidos. Segundo os integrantes do grupo, nesse aspecto, “essa é, acreditamos, a meta de todas as Cias Artísticas acadêmicas”.

Ficha Técnica

Texto: Isto não é uma fábula (adaptação de A Raposa e as Uvas, de

Guilherme Figueiredo)

Adaptação: Cia duZEUSes

Direção: Lucas Lima

Produção: Cia duZEUSes

Elenco: Arthur Dobler, Dayane Ros, Luã de Lima, Mariana Barreiros, Matheus

Marques.

Orientação: Luiz Fernando Pereira (LF)

Direção de Arte: LF

Confecção de Figurinos, Cenário e Adereços: LF, Cia duZEUSes e MaLu

Leite

Iluminação e Som: Cia duZEUSes

Operador de iluminação: Leonardo Engel

Servidores Técnicos: Gabriel Guedert e Rachel Teixeira

Fotos Divulgação: Mayara Souto

 

SERVIÇO:

O QUÊ: Apresentação da peça “Isto não é uma fábula”

QUANDO: 25 e 26 de novembro e 02 e 03 de dezembro de 2017, às 20 horas

QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade. Os ingressos são limitados à capacidade do teatro (108 lugares) e serão distribuídos uma hora antes do início da apresentação da peça.

ONDE: Teatro da UFSC (ao lado da Igrejinha), Praça Santos Dumont,

Trindade, Florianópolis-SC

CONTATO: Teatro da UFSC – Departamento Artístico Cultural (DAC): (48) 3721-3853   –   www.dac.ufsc.br

CLASSIFICAÇÃO: 12 anos – Duração: 70 minutos

 

Paulo Marcos de Assis/Estagiário de Jornalismo/DAC/SeCArte/UFSC, com textos e imagens da produção do espetáculo

Projeto Sessão Sênior de Cinema encerra nesta quinta-feira, 23 de novembro, com ‘Anauê!’, de Zeca Pires

20/11/2017 16:58

.

O Projeto chega ao fim com a exibição do documentário “Anauê! – O Integralismo e o Nazismo na Região de Blumenau”, de Zeca Pires, e conta com a presença do diretor na condução do debate com o público.

O Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI)/ProEX e o Departamento Artístico Cultural (DAC)/SeCArte da UFSC, em parceria com a Marte Inovação Cultural, realizam até o final deste mês de novembro, no Teatro da UFSC, sessões de cinema gratuitas e abertas à comunidade. Nesta quinta-feira, dia 23 de novembro, a programação do Projeto Sessão Sênior de Cinema chega ao fim com a exibição do filme ‘Anauê’, do cineasta catarinense Zeca Nunes Pires. A sessão tem início às 9 horas e encerra com a participação do diretor em um debate com o público, com térmio previsto para às 12 horas.

Foram realizadas ao longo do semestre um total de 12 sessões. Todos os filmes foram selecionados pela professora Mônica Joesting Siedler (socióloga e coordenadora do Cinedebate em Gerontologia do NETI), com o objetivo de contemplar temas sobre o envelhecimento e sobre o processo do viver. As dinâmicas de debate buscam, também, conduzir o público a interpretar e compreender a linguagem cinematográfica que é utilizada para enfatizar as mensagens presentes nas obras, “a gente tem que aprender a ler filmes”, diz a professora.

Como forma de mostrar a maneira com que esses temas são abordados em outras culturas e sociedades, foram selecionados filmes de diferentes países, “nenhum filme repetiu a nacionalidade, o envelhecimento é para todos, mas, conforme o filtro que a gente tem da cultura, muda a forma de se perceber as coisas”.

‘Anauê’, o 12º e último filme da programação, é nacional. Dirigido pelo cineasta e atual coordenador do DAC/UFSC, Zeca Nunes Pires, o filme aborda o tema sobre o nazismo e o integralismo na região de Blumenau. Ao tratar da história passada, o filme visita enfaticamente o momento atual no Brasil e no mundo, “Quando não se discute e se passa por cima da história, deixamos de entender por que certas reações no mundo contemporâneo acontecem, e isso aumenta o racismo, a intolerância.”, comenta o cineasta em entrevista para o FAM 2017.

Nunes Pires, que tem participado de outros debates em projetos de cinema do NETI, comenta sobre proposta para ampliar a divulgação de  Anauê: “A ideia é mais tarde ter um site com o material na íntegra, mesmo as entrevistas que não entraram. Essa é a função do filme, proporcionar reflexão sobre esse período e estimular outros trabalhos”.

Assista ao trailer do filme

 

O Projeto Sessão Sênior de Cinema

O Projeto Sessão Sênior de Cinema iniciou em 2016, com a percepção da falta de atividades culturais voltadas para o cinema focando no público idoso. Este projeto é patrocinado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Florianópolis, com Apoio Cultural do Floripa Shopping e idealização da Marte Inovação Cultural, cujo projeto garante os direitos de exibição dos filmes para serem apresentados na modalidade “sessão aberta”.

O Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI) com enfoque na educação permanente, oferece cursos, grupos, oficinas e projetos voltados para alunos idosos, objetivando a sua atualização e inserção social. O Núcleo também presta assessoria e consultoria à comunidade, através de parcerias com entidades governamentais e não governamentais. A realização do projeto na UFSC é uma parceria entre o Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI)/Proex e o Departamento Artístico Cultural (DAC)/SeCArte da UFSC, com a Marte Inovação Cultural.

 

SERVIÇO:
O QUÊ: Sessão Sênior de Cinema com o filme ‘Anauê!’

QUANDO: quinta-feira, 23 de novembro de 2017, das 9 às 12h.

ONDE: Teatro da UFSC (ao lado da Igrejinha) – Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis (SC). Capacidade do teatro: 108 lugares.

QUANTO: gratuito e aberto à comunidade.

CONTATO:

DAC/UFSC: (48) 3721-3853 – (48) 3721-6493

/www.dac.ufsc.br
NETI: (48) 3721-6198
  / www.neti.ufsc.br
MARTE INOVAÇÃO CULTURAL: (48) 3717-5397

/www.marte.art.br

 

Sessão Sênior de Cinema – www.sessaoseniordecinema.com.br

 

 

Paulo Marcos de Assis/Estagiário de Jornalismo/DAC/SeCArte/UFSC

Projeto 12:30 encerra o ano com show da banda Calafate

18/11/2017 18:31

.

Nesta quarta-feira, dia 22 de novembro, a banda Calafate faz o show que marca o encerramento da programação do Projeto 12:30 deste ano

A banda Calafate volta a se apresentar no palco do Projeto 12:30. Influenciados pela black music, e por outros movimentos, a banda se apresenta com músicas autorais e também com releituras de artistas como Bob Marley, Jimi Hendrix, Chico Science, entre outros. O show é gratuito, aberto à comunidade e será realizado às 12h30min. em palco montado ao lado do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, em Florianópolis.


A Banda

No primeiro semestre de 2015, dois músicos começam a morar juntos em uma casa no bairro do Pantanal, na rua do Calafate. A partir de encontros informais com outros amigos nas Jam Sessions, nasce o Calafate. Guiados pelo groove da Black Music, a banda vem construindo uma identidade musical com inspiração nos seguintes movimentos: blues, funk, reggae, jazz, samba, rock, maracatu e capoeira. Em 2016 a banda realizou uma turnê pela Argentina, adquirindo experiência na estrada e no cenário musical.


Os integrantes

André Poletto

Atual guitarrista do Calafate, André Polleto tem sua base no rock’n’nroll, principalmente em artistas como Led Zeplin, Pink Floyd e Gran Funk Railroad. Quando conheceu os integrantes da banda, passou a desenvolver o gosto pelo reggae e pelo blues. É também grande fã dos ritmos africanos. Na música brasileira, é admirador de artistas como Tim Maia, Novos Baianos, Adoniram Barbosa, Alceu Valença, Zé Ramalho, entre outros.

Christiano Poletto

No teclado e no vocal, Christiano Polleto tem no seu estilo musical características do jazz, do reggae, do rock, além do ritmo latino do maracatu. Inspirado em artistas como Tim Maia, Bob Marley, Led Zeplin, a orquestra argentina La Sasasa, entre outros, o músico procura absorver ensinamentos de cada um dos diferentes estilos musicais.

Cristhian Limbacher

Baterista, Cristhian tem sua raiz musical no ritmo pesado do punk rock. Logo migrou para a cadência suave do reggae music, se espelhando em artistas nacionais e internacionais como Ponto de Equilíbrio, Mato Seco, The Congos, Groundation e Bob Marley. Ao conhecer a banda Calafate, o baterista passa a fazer parte do intercâmbio musical com os integrantes, conhecendo e assumindo novos gêneros musicais como o funk, o soul, entre outros.

 

Jorge
Saxofonista, Jorge traz para a banda a arte dos instrumentos de sopro. Inicialmente influenciado pelo reggae, o jazz e o blues, através de artistas como Bob Marley, The Congos, Zz-top e Jeff Cofins, com a entrada do saxofonista na banda Calafate, o funk norte-americano também passa a fazer parte do repertório de inspirações do músico.

Luigi

Baixista da Calafate, o músico foi influenciando por vários artistas como Novos Baianos, Tim Maia, Ponto de Equilíbrio, Dazaranha e outros. Internacionalmente, Stevie Wonder, Funkadelic, Sublime e Bob Marley, são alguns dos artistas que compõem o eclético repertório musical do baixista. Além de músicas tradicionais, também tem influência nas músicas folclóricas da região serrana.

Matheus

Compondo algumas letras e harmonias para as músicas da Calafate, o guitarrista e vocalista é um dos responsáveis pelo encaminhamento da banda na cena autoral. As influências do músico, que também servem de base para suas composições, vão desde artistas como Raul Seixas, Cazuza e Jim Morrison, até o rap nacional de Sabotagem, Chico Science, Criolo e Racionais.

 

Projeto 12:30

Realizado pelo Departamento Artístico-Cultural (DAC) da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o Projeto 12:30 apresenta, quinzenalmente, às quartas-feiras, durante o período letivo, atrações culturais gratuitas, como música, dança e teatro, na praça da cidadania, ao lado do Centro de Cultura e Eventos, na UFSC.

Artistas e grupos interessados em se apresentar no projeto devem entrar em contato com o DAC pelos telefones (48) 3721-9447 ou 3721-3853, ou pelo e-mail ()


SERVIÇO:

 

O QUÊ: apresentação da Banda Calafate.
QUANDO: quarta-feira, 22 de novembro de 2017, às 12h30min.

ONDE: Projeto 12:30, ao lado do Centro de Cultura e Eventos, Praça da Cidadania, Campus da
UFSC, Trindade, Florianópolis (SC).

QUANTO: gratuito e aberto à comunidade.

CONTATO: Projeto 12:30 – Departamento Artístico Cultural (DAC) / Igrejinha da UFSC, Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis (SC) / (48) 3721-2497, 3721-9447 e 3721-3853

Paulo Marcos de Assis/Estagiário de Jornalismo/DAC/SeCArte/UFSC

.

14/11/2017 16:16

Projeto Sessão Sênior de Cinema exibe “A Festa de Babette”, em ‘sessão aberta”, com debate, dia 16/11. Gratuito e aberto à comunidade. Clic na imagem e saiba mais.