Cursos e Oficinas de Arte
EMail

 .

Departamento Artístico Cultural abre inscrições para Workshops de Fotografia Pinhole, e de Cantos Afro-Brasileiros

As inscrições para os dois workshops iniciam a partir do dia 19 de setembro de 2016.

Oficina pinhole foto Lilian Barbon WEB800

Workshop de pinhole. Foto: Lilian Barbon

O worshop de Fotografia Pinhole: foto com lata ocorre no dia 23 de setembro, tem carga horária de 7 horas e possui 12 vagas disponíveis. E o workshop de Cantos Bantos: Afro-brasileiros, africanos e de suas diásporas inicia no dia 22 de setembro e vai até 10 de novembro, a carga horária é de 24 horas e serão oferecidas 20 vagas. Os workshops são abertos à participação de estudantes, servidores e docentes da UFSC e pessoas da comunidade.

A inscrição deve ser feita presencialmente na Coordenação de Cursos e Oficinas de Arte, no DAC (Teatro/Igrejinha da UFSC), na Praça Santos Dumont, Trindade, das 10:00 às 17:00 horas. As inscrições serão por ordem de chegada e ficarão abertas até o início dos Workshops ou até completar o número de vagas.

Taxas de Inscrições:

Fotografia Pinhole – Foto Com Lata                                                       R$  70,00

Cantos Bantos: Afro-brasileiros, africanos e de suas diásporas         R$ 250,00

AS OFICINAS

Fotografia Pinhole: foto com lata

Ministrante: Lilian Barbon

Data: 23 de setembro, sexta-feira, das 09:00 às 12:00h  e das 13:00 às 17:00 horas

Carga Horária: 7 horas

Taxa de Inscrição: R$ 70,00, o pagamento deve ser efetuado através de Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Requisitos: Aberta a todos os interessados em fotografia com idade igual ou superior a 13 anos. Cada aluno deverá levar uma lata com tampa de alumínio (lata de leite ninho) no dia.

Sobre o Workshop: Tem como objetivo apresentar o processo da Fotografia Pinhole (do inglês “buraco de agulha”), que é um processo alternativo de fotografia, feito com câmeras artesanais, que nada têm de semelhante com as câmeras fotográficas convencionais, com as quais estamos mais habituados. A câmera artesanal pode ser facilmente construída utilizando-se materiais simples e de baixo custo. Neste workshop serão utilizadas latas de alumínio para a construção das câmeras pinhole. O workshop inicia com uma introdução à história da fotografia. Em seguida, cada participante constrói a sua câmera pinhole feita com lata, para assim entender a atuação da luz na câmera fotográfica. Posteriormente, serão reveladas as imagens feitas com a câmera em um laboratório fotográfico improvisado. O resultado final deverá ser apresentado em exposição das oficinas de arte do DAC.

Sobre a ministrante: Lilian Barbon é Fotógrafa e Artista Visual. Mestra e Bacharel em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC e Especialista em Fotografia: Práxis e Discurso Fotográfico, pela Universidade Estadual de Londrina – UEL.

Desde 2003, realiza experiências na área da fotografia, desenvolvendo diversos trabalhos práticos e teóricos no campo das artes visuais e participando de inúmeras exposições coletivas e individuais. Seu trabalho autoral é voltado à temática acerca da Autorrepresentação e Identidade na Fotografia Contemporânea. Possui várias premiações na área, podendo destacar: Prêmio “Llamale H”, da Asociación Civil por la Cultura y la Diversidad, em Montevidéu -UY; Premiação no XX Encontro de Artes Plásticas de Atibaia/SP; Premiação no 14º. Salão UNAMA de Pequenos Formatos, em Belém-PA; Premiação no III Concurso de Fotografia Next-Photo, em São Paulo – SP. Atua também como instrutora em oficinas de fotografia e artes visuais. Entre os cursos, oficinas e workshops ministrados estão: Curso de Fotografia – Introdução à Arte Fotográfica; Oficina de Fotografia Light Painting: Pintando com a Luz; Oficina de Fotografia: Corpo e Autorrepresentação; Oficina de Fotografia: O Corpo como Linguagem; Projeto Luz na Lata – Oficinas de Fotografia Pinhole; Oficina de Caixas Mágicas; e Oficina de Processos alternativos: Cianotipia e Marrom Van Dyke.

Cantos Bantos: Afro-brasileiros, africanos e de suas diásporas

Ministrante: Roberta Lira

Oficina cantos bantos WEB800 2

Workshop de Cantos Bantos

Data: de 22 de setembro a 10 de novembro, quintas-feiras das 9:00 às 12:00 horas

Carga Horária: 24 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00, deve ser efetuado através de Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Requisitos: Aberta a todos os interessados em práticas alternativas, com idade igual ou superior a 16 anos.

Sobre o Workshop: Na oficina serão trabalhados alguns caminhos de experimentações com o canto e com as sonoridades de matrizes africanas. Os participantes serão conduzidos ludicamente nas atividades, sob uma atmosfera de imersão às canções, a poética e a força envolvente destes cânticos junto a sua expressão corporal. Os Cantos Bantos pertencem a um dos principais troncos culturais e linguísticos dos povos africanos, uma das vertentes culturais da África que contribuíram significativamente na construção da cultura afro-brasileira e brasileira. Durante as aulas, serão conhecidas e ensinadas canções tradicionais, ancestrais e contemporâneas. O ensino se dará inicialmente a partir de histórias e cânticos que foram entoados nos tempos da escravização dos povos africanos e repassados aos seus descendentes e sociedades no Brasil. Com intuito de envolver a todos pela força e o sentido das canções, para que venham a compreender as relações delas com a vida cotidiana nos diferentes tempos, como também os efeitos de sua força sobre quem as entoava e quem as recebia. O workshop tem por objetivo possibilitar a valorização, preservação dos cânticos e o conhecimento histórico de diferentes tempos e facilitando as reflexões sobre origens, identidade, pertencimento e valorização étnico-racial, a partir do acesso às memórias ancestrais.

Sobre a ministrante: A musicista Roberta Lira é cantora popular, compositora, professora de canto e musicalização infantil, produtora musical, pesquisadora de músicas tradicionais e contemporâneas de matriz africana e das artes e performances dos corpos negros e brancos sob contextos de afeto e violência. Estudou Canto Popular e Linguagem Musical para Crianças, na Universidade Livre de Música, ULM -Tom Jobim, atual Escola de Música do Estado de São Paulo, EMESP – Tom Jobim. É acadêmica do Curso de Artes Cênicas, da Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC, Diretora de Projetos, Arte e Cultura e membro da Comissão Fundadora do Coletivo Kurima – Estudantes Negros/as, Diretora Geral e criadora do projeto de extensão Vozes de Zambi: expressão vocal e consciência negra. Realizou diversos trabalhos e ações culturais, na área de ensino, produção artístico-cultural, com ênfase na música, performances artísticas e das artes e culturas de matriz africana com diversas entidades, instituições governamentais e não governamentais, como recebeu apoio, patrocínio ou parceria na realização, como do: Espaço de Arte Galápago, Centro de Cultura de Porto Seguro, Prefeitura de Florianópolis, Fundação Franklin Cascaes, Fundação Catarinense de Cultura, Universidade Estadual de Santa Catarina, NELLOL, Aliança Francesa, Universidade Federal de Santa Catarina, Univille, Universidade Presbiteriana de Joinville, Casa da Vó Joaquina, Velha Guarda Copa Lord, Casa Brasil, Associação Vila Aparecida, Assembleia Legislativa de Santa Catarina, dentre outros.

 

CONTATO: Departamento Artístico Cultural (DAC), (48)3721-2498 ou 3721-9447

_______________________________________

_______________________________________

 

(Em 29.08.16 às 15h45 -

Ainda há vagas para a Oficina de  Teatro para Adolescentes e para a Oficina Permanente de Teatro.  Veja detalhes na noticia publicada neste site do DAC.)

 

________________________________________

 

(Conteúdo abaixo atualizado em 04.08.16 às 16h20)

Oficina Cerâmica DAC, 2016-1, Foto WEB1000

CURSOS E OFICINAS LIVRES DE ARTE – DAC

INSCRIÇÕES PARA O SEGUNDO SEMESTRE DE 2016

Para o segundo semestre de 2016, o Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) oferece uma série de Oficinas de Arte, que são abertas à participação de alunos, servidores técnico-administrativos e docentes da UFSC e pessoas da comunidade.

 

INFORMAÇÕES SOBRE AS INSCRIÇÕES E A RELAÇÃO DE OFICINAS PARA 2016-2

As oficinas acontecerão somente se atingido o número mínimo de alunos.

Preenchidas as vagas para as Oficinas, haverá lista de espera para o caso de haver alguma desistência.

Todas as inscrições são presenciais, fique atento e confira as datas para as inscrições conforme o calendário a seguir:

OFICINA DATA HORÁRIO
VIOLÃO 15/08/2016 10:00 às 17:00 horas
CERÂMICA 15/08/2016 10:00 às 17:00 horas
GRAVURA 16/08/2016 10:00 às 17:00 horas
AQUARELA 16/08/2016 10:00 às 17:00 horas
HISTÓRIA DA ARTE 17/08/2016 10:00 às 17:00 horas
CURADORIA 17/08/2016 10:00 às 17:00 horas
FOTOGRAFIA 18/08/2016 10:00 às 17:00 horas
DOCUMENTÁRIO 18/08/2016 10:00 às 17:00 horas
TEATRO PARA ADOLESCENTES 23/08/2016 14:00 às 16:00 horas
OFICINA PERMANENTE DE TEATRO (OPT) 23/08/2016 20:00 às 21:00 horas
DANÇAS CIRCULARES 25/08/2016 10:00 às 17:00 horas

 

SOBRE AS INSCRIÇÕES:

 

OFICINA DE VIOLÃO,dia15/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 15 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

 

Horários:

Segundas-feiras:

Violão Intermediário* – 13:30–15:00h  – 10 vagas – mínimo 8

Violão Inciante -15:00–16:30h – 10 vagas – mínimo 8

Quartas-feiras:

Violão Iniciante – 9:00–10:30h – 10 vagas – mínimo 8

Violão Intermediário* – 10:30–12:00h – 10 vagas – mínimo 8

 

OBS.:

Violão com cordas de nylon, tocado com os dedos – esta oficina não será voltada para violão com cordas de aço, tocado com palheta.

(*) Violão Intermediário: voltado para alunos que já cursaram Violão Iniciante e para alunos que já tenham algum tipo de iniciação ao violão.

 

OFICINA DE CERÂMICA ARTÍSTICA,  dia 15/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Turma I  – Segundas-feiras, das 09:00 às 12:00h  – 10 vagas – mínimo 8

Turma II – Terças-feiras, das 09:00 às 12:00h – 10 vagas – mínimo 8

Esmaltação – Quartas-feiras, das 09:00 às 12:00h – 10 vagas – mínimo 8

 

OFICINA DE GRAVURA, dia 16/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Turma I – Segundas-feiras, das 09:00 às 12:00h – 10 vagas – mínimo 8

Turma II – Sextas–feiras, das 14:00 às 17:00h – 10 vagas – mínimo 8

 

 

OFICINA DE AQUARELA, dia 16/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Quartas-feiras, das 14:00 às 17:00h – 12 vagas  -  mínimo 10

 

OFICINA DE HISTÓRIA DA ARTE,  dia 17/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Terças-feiras, das 09:00 às 12:00h – 18 vagas – mínimo 12

 

OFICINA DE CURADORIA,  dia 17/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 40 horas

Taxa de Inscrição: R$ 300,00

Quartas-feiras, das 18:30 às 22:00h – 18 vagas  -  mínimo 12

 

OFICINA DE FOTOGRAFIA DIGITAL,  dia 18/08/2016, das 10 à 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 300,00

Quintas-feiras, das 14:00 às 17:00h – 18 vagas –  mínimo 12

 

OFICINA DE DOCUMENTÁRIOS,  dia 18/08/2016, das 10 às 17 horas, por ordem de chegada.

Carga Horária: 40 horas

Taxa de Inscrição: R$ 350,00

Terças feiras, das 14:00 às 18:00h  – 18 vagas – mínimo 12

Observação: Para uma dessas oito oficinas, as inscrições deverão ser feitas, nas datas informadas acima, das 10 às 17 horas, na Coordenação dos Cursos e Oficinas Livres de Artes – DAC, situada no Conjunto da Igrejinha da UFSC, Campus da UFSC Florianópolis, em frente à Praça Santos Dumont, Trindade.

 

OFICINA DE DANÇAS CIRCULARES

As Inscrições para a Oficina de Danças Circulares ocorrerão no dia 25/08/2016 das 10:00 às 12:00 horas, no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha (Campus da UFSC Florianópolis, em frente à Praça Santos Dumont, Trindade).

Carga Horária: 20 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Quintas-feiras das 10:00 às 11:30h  – 15 vagas – 10 mínimo.

 

As OFICINAS DE TEATRO oferecidas neste semestre terão suas inscrições de forma presencial conforme relação abaixo:

 

OFICINA PERMANENTE DE TEATRO (OPT), dia 23/08/2016, das 20 às 21 horas, por ordem de chegada (no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, Campus da UFSC Florianópolis, em frente à Praça Santos Dumont, Trindade).

 

Improvisação e Técnica Vocal

Carga Horária: 50 horas

Taxa de Inscrição: R$ 400,00

Terças e quintas–feiras das 19:30 às 22:00h – Vagas 40 – mínimo 20

Coordenadora: Carmen Fossari

 

Expressão Corporal e História do Teatro

Carga Horária: 60 horas

Taxa de Inscrição: R$ 400,00

Terças e Quartas–feiras das 08:30 às 11:30h – Vagas 40 – mínimo 20

Coordenadora: Carmen Fossari

 

OFICINA DE TEATRO PARA ADOLESCENTES (OTA), dia 23/08/2016, das 14:00 às 16:00 horas (no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, Campus da UFSC Florianópolis, em frente à Praça Santos Dumont, Trindade).

Carga Horária: 60 horas

Taxa de Inscrição: R$ 250,00

Terças-feiras das 14:00 às 16:00h, e quintas-feiras das 14:00 às 17:00h – 20 vagas – 12 mínimo

Coordenação: Zélia Sabino

 

Observações:

O interessado poderá se inscrever em mais de uma Oficina.

As inscrições são válidas para o período de 15/08/2016 a 30/11/2016.

Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a comprovação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC, até o início das aulas, para a efetivação da inscrição.

 

______________________________

______________________________

 

RELAÇÃO DAS OFICINAS OFERECIDAS EM 2016-2

COM HORÁRIOS, EMENTA / RESUMO E CURRÍCULO DOS INSTRUTORES

 

OFICINA DE VIOLÃO (cordas de nylon, sem palheta)

Ministrante: Kleber Alexandre

Data: 22/08/2016 a 16/11/2016

Carga Horária: 15 horas

Horários:

Segundas-feiras: Violão Intermediário* – 13:30–15:00h

Violão Iniciante -15:00–16:30h

Quartas-feiras: Violão Iniciante – 9:00–10:30h

Violão Intermediário* – 10:30–12:00h

Número de alunos: 10 alunos por turma – mínimo 8

 

OBS.:

Violão com cordas de nylon, tocado com os dedos – esta oficina não será voltada para violão com cordas de aço, tocado com palheta

(*) Violão Intermediário: voltado para alunos que já cursaram Violão Iniciante e para alunos que já tenham algum tipo de iniciação ao violão.

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento, e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para a efetivação da inscrição.

Requisitos: Somente candidatos com idade igual ou superior a 16 anos.

Sobre o ministrante:

Kleber Alexandre possui bacharelado em Composição e Regência pela Universidade Estadual Paulista – Júlio de Mesquita Filho (1995) e mestrado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Completou o curso de violão clássico no Conservatório Musical Imirim (SP); Na E.M.M.S.P estudou matérias teóricas e cursou violão com Edelton Gloeden e Everton Gloeden; estudou improvisação e arranjo com Ulisses Rocha e, choro com Francisco Araújo. Entre 2002 e 2003 foi professor de violão e entre 2006 e 2011 foi professor de percepção, harmonia, canto coral, violão e prática de conjunto da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Composição Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: violão, composição, arranjo, análise de canção, harmonia, contraponto, performance, educação musical, literatura e história da MPB.

Sobre a oficina:

Ementa:

Postura; Afinação; Mecânica do movimento de mão direita e mão esquerda;

Noções de cifra; ritmos de mão direita aplicados a progressões harmônicas;

Prática de acompanhamento de canções; Prática de conjunto;

Noções de leitura musical.

Localização das notas na escala do violão;

Desenvolvimento técnico: escalas, arpejos, ligados.

 

Conteúdo Programático.

Violão Iniciante:

Noções de postura: cadeira, apoio para o pé, membros, postura do violão. Questionamentos sobre a eficácia da postura postulada, bem como exercícios para verificação das vantagens obtidas na postura sugerida.

Exercícios para mão direita: combinações binárias de movimento e fórmulas de arpejos de quatro notas utilizando cordas soltas;

Conscientização dos tipos de movimento para mão esquerda e exercícios.

Escala de mi menor natural na primeira posição nas cordas graves e aplicação nas fórmulas de arpejo.

Levada para mão direita: analogia com percussão, símbolos. Gêneros “balada” ou “balada pop”, sub-gêneros, origens e confluências: aplicação em repertório.

Montagem de acordes: encadeamentos básicos, com enfoque inicial em acordes que utilizam cordas soltas, um dedo ou dois dedos e repertório selecionado com essa característica.

Repertório: balada e variações; sugestões para pesquisa individual: seleção por afinidade, grau de dificuldade e treino de mecanismos de busca na internet e aplicativos (transposição de tonalidade).

Exercícios de reconhecimento de notas, leitura e postura para mão esquerda: bibliografia selecionada.

Gênero rock e subgêneros: aplicação em repertório

Ritmos brasileiros: valsa e bossa nova; exercícios para mão direita visando à aplicação em canções de MPB.
Violão Intermediário:

(*) Voltado para os alunos que fizeram o violão iniciação e para alunos que já tenham uma iniciação ao violão.

Revisão dos conteúdos técnicos trabalhados em violão iniciação.

Arpejos do método de Abel Carlevaro.

Escalas em uma corda – método de Kleber Alexandre.

Bossa nova: canções de Toquinho, Tom Jobim entre outros.

MPB: canções de Djavan, Caetano Veloso, Milton Nascimento, Pop/Rock,  entre outros que apresentem confluências com ritmos estudados.

Prática de conjunto: arranjos de canções populares e pequenas peças instrumentais.

Noções de canto acompanhado: como escolher tonalidade, realizar transposição e noções de exercícios para resolver dificuldades de coordenação motora. Exercícios de técnica vocal aplicados ao violão.

 

 

OFICINA DE CERÂMICA ARTÍSTICA

Ministrante: Gustavo Tirelli Ponte de Sousa

Data: 22/08/2016 a 16/11/2016

Carga Horária: 30 horas

Horários:

Turma I – Segundas-feiras, das 09:00 às 12:00h

Turma II – Terças-feiras, das 09:00 às 12:00h

Esmaltação – Quartas-feiras, das 09:00 às 12:00h

Número de alunos: 10 alunos por turma – mínimo 8

Requisito: aberta a todos os interessados (jovens e adultos), iniciantes ou já praticantes da Cerâmica. Somente candidatos com idade igual ou superior a 17 anos.

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC  até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Sobre o ministrante:

Gustavo Tirelli Ponte de Sousa cursou História na Universidade Federal de Santa Catarina (de 1998 a 2001), onde foi bolsista da Reserva Técnica do Museu de Antropologia. Formou-se em Artes Plásticas pela Universidade do Estado de Santa Catarina, em 2008. Participou da Mostra EXTRA no Museu de Arte de Santa Catarina, em 2003. Pela UDESC, criou junto com o Grupo de Pesquisa Arte e Vida nos Limites da Representação, o Projeto de Extensão Cerâmica e Música no Campeche, 2003 a 2008. Ajudou a criar o Grupo de Pesquisa Geodésica Cultural Itinerante, em 2011, onde desenvolve pesquisas e trabalhos artísticos colaborativos. Participou da Estação Geodésica no Museu Victor Meirelles, 2014. Foi diretor de programação da Rádio Comunitária Campeche, em 2010-2011. Organizou as feiras de troca e música na Rádio, os Balaios da Rádio. Ministrou Workshop de estêncil pelo Ponto de Cultura TOCA, em 2010. Foi instrutor de Cerâmica Básica e Avançada no Departamento Artístico Cultural da UFSC, em 2011. Criador e Colaborador do Projeto Aviário das Artes no Assentamento Conquista na Fronteira, no município de Dionísio Cerqueira. Atualmente está cursando Curso de Especialização Arte no Campo (Pós-Graduação Lato Sensu). Executou obras de arte públicas com o ERRO Grupo (BUSTOX, 2014) e com Betânia Silveira (2012). Ministra aulas e cursos especiais de Cerâmica em ateliê próprio onde compõe o ATELIEDESINUTIL 2014. Desenvolve pesquisa e produção de cerâmica de alta temperatura, construção de objetos sonoros e processos colaborativos.

 

Sobre as Oficinas:

A oficina de Cerâmica acontecerá em encontros semanais de três horas, e está aberta a todos os interessados (jovens e adultos), sejam esses iniciantes ou já praticantes da Cerâmica. A oficina é um espaço para o estudo e a prática Cerâmica. Com o objetivo de estimular os participantes ao desenvolvimento de suas poéticas, o curso pretende que a técnica seja compreendida como ferramenta que facilita a concretização das ideias.

Ementa:

História da cerâmica; Técnicas de modelagem manual, acordelado, placas, pintpot, tiras, modelagem por subtração; Queimas; Acabamentos, polimento, pintura e texturas, engobe, terra sigillata. Esmaltação; Pastas cerâmicas para usos específicos, pasta autofraguante, pasta com estruturantes, pastas coloridas, cerâmica de grés. Cerâmica artística.

 

Oficina de Cerâmica Artística – Esmaltação

Propiciar aos participantes o conhecimento dos principais conceitos ligados ao uso de esmaltes em cerâmica. Desenvolver práticas e pesquisa de esmaltação. Habilitar os envolvidos a compor e utilizar seus próprios esmaltes.

Estimular o desenvolvimento de peças cerâmicas esmaltadas. Reconhecimento dos principais tipos de cerâmica esmaltada.

 

OFICINA DE GRAVURA

Ministrante: Fabiano Foresti

Data: 22/08/2016 a 04/11/2016

Turma I – Segundas-feiras, das 09:00 às 12:00h – 10 vagas – mínimo 8

Turma II – Sextas –feiras , das 14:00 às 17:00h – 10 vagas – mínimo 8

Carga Horária: 30 horas

Número de alunos: 10 alunos por turma  – mínimo 8

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Requisitos: Somente candidatos com idade igual ou superior a 18 anos.

Sobre o ministrante:

Fabiano Foresti iniciou-se no mundo das artes pela música, especificamente a bateria, há mais de vinte anos atrás, com um interesse sempre crescente, também, pela literatura e poesia. Cursou Design de Produtos no CEFET-SC de Florianópolis (atualmente IFSC), onde desenvolveu interesse pelas artes visuais através da teoria e história da arte, do desenho de observação, conhecendo técnicas e realizando práticas manuais na produção de objetos de design. Buscando o aprofundamento, formou-se em Artes Plásticas pela UDESC onde desenvolveu maior interesse pela gravura, fotografia, pintura e desenho. É formando em Letras-Português pela UFSC, com foco em literatura. Atualmente é professor de artes da EJA na PMF, mantém atividades como poeta, músico e artista visual com interesse em processos híbridos. Produz, publica e propaga suas produções artísticas de forma independente, em meio físico e virtual.

Sobre a oficina:

A partir da reflexão sobre projetos e ações de artistas que vivenciam e vivenciaram a arte da gravura no espaço urbano, a oficina propõe a prática da gravura pelo estudo de suas técnicas, estéticas e políticas na arte contemporânea frente às problemáticas sociais.

Refletir e produzir, em um vai e vem, a gravura como ferramenta de transformação social, estética e política, na contemporaneidade.

Conhecer a gravura na História da arte e em contextos marginais;

Conhecer formas de gravura tradicionais e contemporâneas e seus desdobramentos;

Conhecer, reconhecer e ampliar alternativas aos materiais tradicionais da gravura (radiografia, MDF, EVA, etc.);

Produzir gravuras coletivas e individuais ao longo de toda a oficina com materiais alternativos e de reuso.

 

 

OFICINA DE AQUARELA

Ministrante: Paula Rodrigues Correia

Data: 24/08/2016 a 16/11/2016

Horários: Quartas-feiras, das 14:00 às 17:00h

Carga Horária: 30 horas

Número de alunos: 10 alunos por turma  – mínimo 8

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Requisitos: Somente candidatos com idade igual ou superior a 18 anos.

Sobre o ministrante:

Paula Rodrigues Correia é Mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo -­ UAM. Especialista em Teorias da Comunicação e da Imagem pela Universidade Federal do Ceará -­ UFC. Graduada em Design de Moda pela Faculdade Católica do Ceará e graduada em Artes Plásticas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará -­ IFCE. Atuou como docente do Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda da Faculdade Estácio de Sá ­- FESGO até julho de 2015, onde também foi membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) e do Colegiado nos cursos de Design de Moda e Design Gráfico; sendo responsável pelas disciplinas: Desenho Artístico e Figura Humana, Desenho de Moda, Design de Superfície, Desenho Técnico de Moda, Ilustração de Moda, Design de Embalagem, Linguagem Visual e Design Gráfico na Moda, também atua como ilustradora. Atualmente é designer da marca de design, arte, decoração e vestuário ­ Dazirmãs, na qual exerce o cargo de criação e desenvolvimento de produtos. Pesquisadora nas áreas de design gráfico, de produto e de moda. Com ênfase em desenho, programação visual, editoração e ilustração. Portfólio: http://paulailustra.daportfolio.com/

Sobre a oficina:

Conteúdo Programático:

Conceito de pintura – técnica de pintura em aquarela/aplicação.

Materiais, acessórios e suportes.

O desenho para aquarela.

Conceito de teoria da cor e sua importância na composição.

O cenário atual da pintura em aquarela.

Criação e desenvolvimento do trabalho final a ser exposto.

 

Metodologia: Os conteúdos serão ministrados através de aulas expositivas e práticas. Destacando o saber teórico e as vivências e experimentações manuais.

 

OFICINA DE HISTÓRIA DA ARTE

Ministrante: Josimar José Ferreira

Data: 23/08/2016 a 25/10/2016

Horários: Terças-feiras, das 09:00 às 12:00h

Carga Horária: 30 horas

Número de alunos: 15 alunos por turma  – mínimo 10

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Requisitos: Somente candidatos com idade igual ou superior a 18 anos.

 

Sobre o ministrante:

Josimar José Ferreira é Mestre em Teoria e História da Arte (2016), pelo Centro de Artes, no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Graduado em licenciatura no curso de Artes Plásticas (2011), pela Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Integrante do Grupo de Pesquisa: Imagem-acontecimento CEART/UDESC, e do Núcleo de Estudos Benjaminianos CCE/UFSC.

Sobre a oficina:

Ementa:

O nascimento das vanguardas e a arte em tempos de entre-guerras. O panorama brasileiro: a abertura dos ismos no final do século XIX até as gramáticas pictóricas, movimentos e escolas em tempos de Guerra-fria. A arte além das vanguardas: Do pop ao neo, do pós ao trans e ao multi, após a segunda metade do século XX. Relações Oriente/Ocidente, Europa/Américas. Arte moderna e contemporânea no cenário catarinense. Articulações entre textos e questões de cada período com a contemporaneidade.

 

OFICINA DE FOTOGRAFIA DIGITAL

Ministrante: Rosana Cacciatore

Data: 25/08/2016 a 27/10/2016

Carga Horária: 30 horas

Taxa de Inscrição: R$ 300,00

Quintas-feiras, das 14:00 às 17:00h – 18 vagas –  mínimo 12

Requisitos: Somente candidatos com idade igual ou superior a 17 anos.

O aluno deve possuir câmera fotográfica digital, não necessariamente profissional.

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 300,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Sobre a ministrante:

Rosana Cacciatore é Mestre em Teoria Literária pela UFSC com pesquisa em cinema, é diretora e produtora cinematográfica. Rosana também é professora de Comunicação e atua como instrutora em oficinas de produção e imagem.

Cursou disciplinas na Université de Paris VIII na área de cinema e fotografia. Atua profissionalmente no âmbito da academia e do mercado de trabalho. Como professora ministrou disciplinas e orientou projetos nos cursos de cinema, publicidade e jornalismo na Universidade do Sul de Santa Catarina por 10 anos. Entre as disciplinas ministradas estão argumento e roteiro, criação publicitária e teorias da imagem. Realiza atualmente oficinas de criação e produção de imagem para instituições culturais. Como profissional tem 25 anos de experiência, registrada no Ministério do Trabalho como diretora e produtora cinematográfica. Realizou trabalhos de roteiro e direção de audiovisuais para publicidade, programas televisivos e artísticos no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Como fotógrafa realizou trabalhos para Folha de São Paulo e outros jornais e publicações. Foi coordenadora de comunicação institucional no Diário Catarinense e Assessora de Comunicação da Fundação Franklin Cascaes. Tem atuado nas Oficinas de Arte do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC como instrutora de fotografia e de documentário.

 

Sobre a Oficina:

A oficina tem como objetivo capacitar o aluno para o exercício da fotografia digital, dando a ele competência técnica e crítica para avaliar, criar e produzir obras fotográficas. Será dividida em três módulos: histórico, técnico e estético onde serão abordados de forma clara e objetiva a história da fotografia e seu desenvolvimento ao longo dos anos.

Ementa:

Módulo I: (Histórico) – Introdução à História da Fotografia (do século XIX ao século XXI)

Módulo II: (Técnico) – Introdução à técnica, aos recursos e equipamentos fotográficos digitais

Módulo II: (Estético)

 

OFICINA DE DOCUMENTÁRIOS

Ministrante: Rosana Cacciatore

Data: 23/08/2016 a 25/10/2016

Carga Horária: 40 horas

Horário: Terças-feiras, das 14:00 às 18:00h

Número de alunos: 16 vagas  – mínimo 12

Requisito: Somente candidatos com idade igual ou superior a 17 anos.

Obs.: Não há mensalidade. Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 350,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Sobre a ministrante:

Rosana Cacciatore é Mestre em Teoria Literária pela UFSC com pesquisa em cinema, é diretora e produtora cinematográfica. Rosana também é professora de Comunicação e atua como instrutora em oficinas de produção e imagem.

Cursou disciplinas na Université de Paris VIII na área de cinema e fotografia. Atua profissionalmente no âmbito da academia e do mercado de trabalho. Como professora ministrou disciplinas e orientou projetos nos cursos de cinema, publicidade e jornalismo na Universidade do Sul de Santa Catarina por 10 anos. Entre as disciplinas ministradas estão argumento e roteiro, criação publicitária e teorias da imagem. Realiza atualmente oficinas de criação e produção de imagem para instituições culturais. Como profissional tem 25 anos de experiência, registrada no Ministério do Trabalho como diretora e produtora cinematográfica. Realizou trabalhos de roteiro e direção de audiovisuais para publicidade, programas televisivos e artísticos no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Como fotógrafa realizou trabalhos para Folha de São Paulo e outros jornais e publicações. Foi coordenadora de comunicação institucional no Diário Catarinense e Assessora de Comunicação da Fundação Franklin Cascaes. Tem atuado nas Oficinas de Arte do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC como instrutora de fotografia e de documentário.

Sobre a Oficina:

Por meio da análise de obras de diferentes cinematografias, de reflexões teóricas e exercícios práticos, a oficina tem como objetivo estimular o olhar do aluno para a leitura e realização de imagens cinematográficas documentais, dando a ele uma base de conhecimento sobre o desenvolvimento do documentário na história do cinema e preparando-o para produção de imagens.

Conteúdo programático:

Módulo 1 – Breve introdução sobre a História do Cinema Documental

Este módulo deverá apresentar um panorama básico da História do Cinema Documental através da análise de excertos de alguns filmes que trouxeram grandes contribuições para formação de novos sentidos ao documentário, tais como Nanookofthe North (1922) de Robert Flaherty, Homem da Câmara de filmar (1929) de DzigaVertov, O triunfo da Vontade (1935) de Leni Rifensthal, The Spanish Earth (1937) de Joris Ivens, Nuitet Bruillard (1955) de Alain Resnais, Primary (1960) de Bob Drew, Chronique d’um Êté (1961) de Jean Rouch e Edgar Morin, La Jetéede Chris Marker, “Simparelé” de Humberto Solas, “Glass” Bert Haanstra e “Crônica de uma desgraça”, de Miguel Torres

Módulo 2 – Tendências do Documentário Contemporâneo

Neste módulo será colocado à disposição do aluno um conjunto de diferentes cinematografias e abordagens do documentário na atualidade, através de obras de autores como Viktor Kossakovsky, Eduardo Coutinho, Cal Guimarães, João Salles, entre outros. Para além de proporcionar um panorama básico das tendências contemporâneas do documentário, este módulo deverá diretamente, incentivar e capacitar o aluno a desenvolver um projeto documental, no módulo seguinte.

Módulo 3 – Desenvolvimento de projeto

O conteúdo programático deste módulo é constituído pelas etapas fundamentais da concepção de um documentário. Noções de argumento, produção e realização, possibilitando ao aluno empreender um projeto documental, aplicando as especificidades desta prática fílmica.

 

OFICINA DE CURADORIA

Ministrante: Kamila Nunes

Data: 24/08/2016  a 30/11/2016

Carga Horária: 40 horas

Horário: Quartas-feiras, das 18:30 às 22:00h

Número de alunos: 18 alunos por turma. – mínimo 14

Requisito: Somente candidatos com idade igual ou superior a 17 anos.

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 300,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Sobre a ministrante:

Kamilla Nunes é curadora independente e crítica de artes, Mestre em Artes Visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina e Graduada em Artes Plásticas pela mesma instituição.

Foi curadora do espaço de cultura O Sítio, diretora do Instituto Meyer Filho e idealizadora da Rede Artéria, em parceria com Bruno Vilela. Curadora do programa de exposições do Memorial Meyer Filho, de 2008–2014. Integrou o grupo de curadoria de Frestas Trienal de Artes (SESC, 2014, Sorocaba). Entre suas últimas curadorias, encontra-se “ERRO EX POSTO” (Exposição de 12 anos do ERRO Grupo, Florianópolis, 2014); a participação na equipe curatorial da Bienal Internacional de Curitiba (Prêmio Jovens Curadores, PR, 2013); “Sumidouro” (Laboratório Curatorial da SP-Arte, coordenado por Adriano Pedrosa, SP, 2012); “Faça algo errado, e diga que fui eu que mandei fazer” (Galeria VK/SESC Joinville, SC, 2011); “Ó lhó lhó” (Sessão Corredor do Ateliê 397, SP, 2011).

É autora do livro “Espaços autônomos de arte contemporânea”, lançado em 2013 através da Bolsa Funarte de estímulo à produção crítica. Organizou os livros “Exercício de imaginação: Meyer Filho” e “Memorial Meyer Filho”. Participou como curadora da residência “TAC Terra Uma” (Minas Gerais, 2013) e da residência editorial da Revista Tatuí, no 10 (Olinda, 2010).

Sobre a Oficina:

A Oficina tem como objetivo oportunizar o entendimento do exercício de curadoria no século XXI, através de aulas práticas, teóricas e estudos de caso sobre procedimentos artísticos, a história das exposições da década de 1960 até a atualidade, e o exercício experimental da curadoria.

Ementa:

Considerações acerca da Arte e da Curadoria, incluindo História da Arte e Arte Contemporânea, para conceituação e exercícios de curadoria de exposições.

 

OFICINA PERMANENTE DE TEATRO – OPT (adulto)

A Oficina Permanente de Teatro – OPT, vinculada ao Departamento Artístico Cultural da UFSC, vem sendo realizada há mais de três décadas e tem por objetivo uma vivência na área das Artes Cênicas compreendendo o estudo teórico e a vivência teatral. Possui uma grade disciplinar básica em que se desenvolve a metodologia “de como ser para representar outro ser”. A cada turma, dependendo da vocação do grupo aí formado, ela realiza o processo de montagem seguindo a tendência natural do grupo e vivências. Depois desta etapa, os alunos, que de fato sintonizam sua vocação, podem integrar o elenco do Grupo Pesquisa Teatro Novo da UFSC. A oficina e o grupo são coordenados por Carmen Fossari.

Neste semestre, a OPT oferece no período noturno Uma Oficina com as disciplinas de Improvisação Teatral  e Técnica Vocal, nas terças e quintas-feiras.

Além dessa oficina, a Oficina Permanente de Teatro oferece uma Oficina com as disciplinas de Expressão Corporal e História do Teatro as terças e quartas-feiras, pela manhã, no horário das 08:30 às 11:30h.

A Oficina Permanente de Teatro realiza suas atividades na formação do ator/cidadão e possibilita o registro do ator/atriz.

 

 

Para inscrição na Oficina Expressão Corporal e História do Teatro, os interessados deverão comparecer no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis, no dia 29/08/2016, terça-feira às 20 horas

 

Improvisação Teatral  e Técnica Vocal (OPT)

Ministrantes:

Mhirley Mansur Gonzaga Miliauskis e Ive Luna

Data: 30/08/2016 a 17/11/2016

Carga Horária: 50 horas

Horários: Terças e quintas–feiras das 19:30 às 22:00 horas

Requisitos: Maiores de 18 anos

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 400,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição.

Sobre as Oficinas:

A Oficina é ministrada com duas disciplinas conjuntas: Improvisação Teatral  e Técnica Vocal, através de técnicas básicas de improvisação teatral e jogos dramáticos. Desenvolve-se o foco da prontidão, atenção, espírito lúdico e disponibilidade para o jogo teatral. Criação das condições necessárias para o trabalho grupal. A Técnica Vocal propõem preparar o aluno para iniciação ao teatro e criação e interpretação em peças e espetáculos de mímica, através de dinâmicas de grupo (Interação, equipe, rítmico, criatividade, confiança, etc.); Técnicas de mímica (Mímica de estilo, ilusionista, interativa e mímica solo); Instrumentalização dos alunos para executarem os movimentos iniciais; Montagem de peças de Mímica e apresentação de peças.

Sobre os ministrantes:

Mhirley Mansur Gonzaga Miliauskis é mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro – PPGT, formada em Artes Cênicas pela Universidade do Estado de Santa Catarina–UDESC, em 2005; Curso Avançado de Mimo Corporal pela International School of Corporeal Mime de Londres, 2007. Participou de vários curtas e atuou em peças de teatro, além de organizar mostra de filmes e outros eventos culturais. Dá aulas de teatro e da técnica do mimo corporal para atores e o público interessado desde 2009 na Lituânia, Inglaterra e Brasil.

 

Ive Novaes Luna é doutora em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina, mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina e possui graduação em Educação Artística com Licenciatura Plena em Música. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: música para teatro, direção musical de espetáculos, preparação vocal de atores, canto, canto coral e arte-educação. É cantora, compositora, maestrina e arte-educadora.

 

OFICINA DE EXPRESSÃO CORPORAL E HISTÓRIA DO TEATRO (OPT)

Ministrantes: Mhirley Mansur Gonzaga Miliauskis e Cláudia Venturi

Data: 30/08/2016 a 30/11/2016

Carga Horária: 60 horas

Horários: Terças e Quartas–feiras das 08:30 às 11:30h

Sobre a oficina:

A oficina é composta de duas disciplinas: Expressão Corporal e História do Teatro.

A disciplina de Expressão Corporal tem como objetivo trabalhar as potencialidades expressivas do corpo a partir de exercícios fundamentados na técnica desenvolvida especialmente para atores, o mimo corporal. Essa é uma técnica que estrutura uma diretriz para a análise do movimento por meio da geometria do corpo, sensibilizando aqueles que o praticam para suas potencialidades motoras e emotivas. Também será trabalhado o espaço cênico e dramaturgia por meio dos jogos de improvisação teatral desenvolvidos por Viola Spolin e Augusto Boal. A meta final é a composição de um esquete teatral de até trinta minutos.

Através da disciplina de História do Teatro pretende-se despertar a curiosidade e o gosto pela história do Teatro, envolvendo o aluno de forma criativa na observação de outros períodos, desenvolvendo a análise crítica e buscando as conexões que resultam no Teatro que é feito hoje, assim como preparar os alunos para compreenderem as influências desse teatro em outras fases e tendências mundiais; abordará o caráter teórico e prático de cada período, analisando inclusive a técnica, a utilização do espaço e o tipo de interpretação utilizados na época, propondo a análise e a vivência através de uma reconstrução de pequenas cenas de cada fase abordada – Teatro Grego: Tragédia, Drama Satírico e Comédia. Os alunos serão divididos em grupos, procurando seguir a estrutura característica do período abordado.

 

Sobre a ministrantes:

Mhirley Mansur Gonzaga Miliauskis é mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro – PPGT, formada em Artes Cênicas pela Universidade do Estado de Santa Catarina–UDESC, em 2005; Curso Avançado de Mimo Corporal pela International School of Corporeal Mime de Londres, 2007. Participou de vários curtas e atuou em peças de teatro, além de organizar mostra de filmes e outros eventos culturais. Dá aulas de teatro e da técnica do mimo corporal para atores e o público interessado desde 2009 na Lituânia, Inglaterra e Brasil.

 

Cláudia Venturi possui graduação em Artes Cênicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1993), especialização em Educação Fundamentada na Arte pela Universidade Tuiuti do Paraná e mestrado em Teatro (no curso de Educação) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007). Desenvolveu atividades baseadas em Técnicas Teatrais e corporais para o teatro, no Brasil e na Itália, trabalhando com pessoas de diversas faixas etárias, em âmbito escolar, social e empresarial. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Interpretação Teatral, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro, conflito, adolescente, linguagem corporal e comunicação.

 

Sobre a Coordenadora:

Carmen Fossari é doutoranda no Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC; Mestre em Literatura Brasileira, pela UFSC, com opção em Teatro. Diretora de Espetáculos do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC. Coordenadora e ministrante da Oficina Permanente de Teatro (OPT) da UFSC.

Diretora e fundadora do Grupo Pesquisa Teatro Novo/UFSC. Nessa categoria, recebeu inúmeros prêmios estaduais e nacionais, bem como representou o Brasil com espetáculos que dirigiu, escreveu e atuou nos seguintes países: Porto Rico, México, Paraguai, Argentina, Chile, Colômbia e Portugal. Esteve com espetáculos no Chile por sete vezes, onde mantém convênio através do GPTN/UFSC com a “Cia. La Carreta” que coordena, naquele país, o ENTEPOLA – Encontro de Teatro Popular Latino Americano.

 

 

OFICINA DE TEATRO PARA ADOLESCENTES (OTA)

Para jovens da comunidade, na faixa etária de 13 a 20 anos. Na Oficina de Teatro para Adolescentes, as aulas são focadas principalmente em jogos teatrais e jogos de integração grupal para desinibir os alunos e, assim, trabalhar em conjunto a consciência corporal e espacial cênica. Para que o trabalho tenha um bom resultado, é preciso que os alunos se sintam à vontade para se expressarem e, assim, as experimentações poderem ser exploradas a partir da realidade e especificidades de cada participante.

Coordenadora: Zélia Sabino.

Os interessados deverão comparecer no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis, no dia 23/08/2016, terça-feira às 14 horas para realizar as inscrições.

Datas: 30/08/2016 a 10/11/2016

Horário:

Terças-feiras das 14:00 às 16:00h  e quintas-feiras das 14:00 às 17:00h   -

Número de alunos: 20 vagas –  mínimo 12.

Carga Horária: 60h

Requisitos: Somente candidatos na faixa etária de 13 a 20 anos.

Obs.: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00, deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição

Sobre as ministrantes:

Andréa Padilha é formada em Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, atriz, produtora e arte-educadora. Realizou aprofundamentos com diversos Diretores em Cursos, Oficinas e Treinamento com Ângela de Castro (Inglaterra), Ricardo Pucetti (Brasil), Roberto Mallet (Brasil) e John Mowat (Inglaterra).

Iniciou sua carreira artística no Grupo de Teatro Atormenta, em 1992. Apresentou espetáculos em diversos países da América e Europa.

Tendo atuado como arte-educadora e coordenadora em diversos projetos sociais como o Projeto Carequinha e o GRIOT.

 

Maris Viana é mestre e doutora em Teoria Literária pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especialista em Teatro-Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Encenadora no Departamento Artístico Cultural, da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenação ou Participação nos Projetos: “Construindo estórias no teatro”, “Cena Aberta”, e “Semana de Arte do DAC”, na Universidade Federal de Santa Catarina. Atua na área do ensino do teatro para jovens, focalizando o processo de construção da narrativa cênica, com a montagem de leituras performáticas, peças teatrais e intervenções em espaços alternativos. Pesquisa o processo de adaptação do texto literário para o teatro trabalhando com a adaptação, a dramaturgia e a poética da cena.

 

Sobre a Coordenadora:

Zélia Sabino possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina (1980), e Especialização no Curso de Pós-Graduação lato sensu em História da Arte pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2011). Atualmente é Cenógrafa do Departamento Artístico Cultural da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro-educação e produção teatral. Coordenadora e ministrante da Oficina de Teatro para Adolescentes do DAC/UFSC (1987 a 2016), coordenadora da Semana de Arte do DAC/UFSC (2012 a 2016), coordenadora adjunta do projeto Cena Aberta (DAC), e coordenadora executiva do FITA – Festival Internacional de Teatro de Animação de Florianópolis (2007-2016), parceria com a UFSC (DALi/CCE e DAC/SeCult).

 

 

OFICINA DE DANÇAS CIRCULARES dia 25/08/2016 das 10:00 às 12:00 horas

Focalizadoras: Cida Garcia e Terezinha Bianchini Derner

Data: 25/08/2016 a 17/11/2016

Carga Horária: 20 horas

Horários: Quintas-feiras das 10:00 às 11:30h  – 15 vagas – mínimo 10

OBS: Não há mensalidade. O pagamento da Taxa de Inscrição, no valor de R$ 250,00 deve ser efetuado na Rede Bancária através do Boleto Bancário (fornecido) até a data do vencimento e a confirmação do pagamento da inscrição deve ser apresentada à Coordenação do Projeto Cursos e Oficinas Livres de Arte – DAC até o início das aulas, para efetivar a inscrição

Sobre a Oficina:

As Danças Circulares, ou Danças dos Povos, fazem parte da vida social humana desde a mais remota data. Em círculo, o homem das sociedades primitivas celebrava todos os acontecimentos importantes como o nascimento, a iniciação, o casamento, o plantio, a colheita, a chegada das chuvas, a primavera, a morte. Ela era o símbolo da vida comunitária, o eixo agregador e socializador da comunidade, refletindo a necessidade da comunhão, da união das pessoas nos momentos de alegria, de tristeza, de louvor, de medo. A prática das danças em círculo foi sendo esquecida, ou melhor, só praticada na infância e com isso perdemos um espaço lúdico de autoconhecimento, de exercício de integração, de celebração, de lazer e muitas vezes terapêutico.

Hoje há um movimento mundial de restabelecimento desta prática como forma de unir as pessoas proporcionando momentos de alegria e descontração sem pré-requisitos de qualquer espécie.

As Danças Circulares contemplam o homem como um todo, abrangendo os aspectos físicos, emocionais, mentais e transcendentais.

Aplicadas de forma pedagógica, desenvolvem a lateralidade, a coordenação motora, a consciência corporal, o ritmo, a orientação espacial, a memorização, a concentração, a atenção e a disciplina. No emocional elas dissolvem tensões, fortalecem a auto-estima, favorecem a cooperação, propiciam a amorosidade, conduzem à integração, promovem a inclusão e o respeito, desenvolvem a capacidade do perdão para consigo e com o outro e levam ao estado de paz a plenitude.

São inclusivas, pois as danças acolhem a todos, independentemente de idade, sexo, cultura, nível de escolaridade, nível social.

A quem se destinam:

A todas as pessoas que buscam o autoconhecimento, a saúde física, mental, emocional e espiritual, o lazer ativo, o aprimoramento artístico-cultural, a convivência pacifica e amorosa e a celebração da vida.

Focalização:

As Danças Circulares necessitam de focalizadores (orientadores) com formação específica para tal, que orientam sobre a especificidade de cada dança, sua origem, a coreografia correspondente, o simbolismo de cada passo, cada gesto, estando sempre atentos às peculiaridades e necessidades individuais e do grupo.

 

Focalizadoras:

Cida Garcia éJornalista (Comunicação Social – UFSC); Pós-graduada em Transdisciplinaridade pela Universidade Internacional da Paz – UNIPAZ SC;

Formação no Curso de Facilitadores de Danças Curativas dos Florais de Bach com a psicóloga Maria Amélia Queiroz (MG); Formação de Focalizadores em Danças Circulares Sagradas com Renata Ramos (SP); Formação em Danças Circulares no Instituto Giraflor (PR); Focalizadora de Danças Circulares em Jurerê; Pratica Danças Circulares Sagradas semanalmente no Centro de Educação da UFSC; Participa dos Encontros Brasileiros de Danças Circulares Sagradas em Embu das Artes (SP); Festival Rodas do Sul em Imbé (RS); Membro do Grupo Organizador do Festival Rodas do Sul 2012 em Florianópolis SC; Membro da Associação Catarinense de Focalizadores das Danças Circulares do Povos; Participou do Festival Internacional de Danças Sagradas em Findhorn (Escócia) em 2010 e 2012; e do Retiro de Danzas do México em fevereiro de 2012.

 

Terezinha Bianchini Derner é Pedagoga e Mestre em Administração Universitária; Professora da Universidade Federal de Santa Catarina – aposentada; Curso Itinerante Psicologia Transpessoal na Índia, Peru, Egito, Grécia, Israel, Jordânia; Membro Fundador do Campus Unipaz SC; Membro do Colégio Internacional dos Terapeutas – CIT; Membro do Conselho Gestor UNIPAZ SC; Membro da Associação Catarinense de Focalizadores de Danças Circulares dos Povos; Focalizadora das Rodas na Unipaz; Focalizadora de Danças Circulares em Jurerê; Pratica Danças Circulares Sagradas semanalmente no Centro de Educação da UFSC; Formação em Danças Circulares e os Florais de Bach com Maria Amélia C. Queiroz; Formação em Danças Circulares Sagradas com Renata Ramos; Formação em Danças Circulares Sagradas no Instituto Giraflor – Curitiba; Focalizadora das Danças Circulares Sagradas desde 2009; Participou do Retiro de Danzas do México em fevereiro de 2012; Autora dos Livros – “Viver: Arte ou Ciência” e “Caminhos Evolutivos: heróico, búdico e crístico”.

 

 

______________________________

______________________________

 

Outras Informações:

Departamento Artístico Cultural (DAC)

Igrejinha da UFSC

Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC

(48) 3721-2498 – 3721-9447

www.dac.ufsc.br

 

 

Outros projetos permanentes realizados pelo DAC, como os grupos musicais e de teatro, também contribuem para a formação artística da comunidade universitária e externa. Acompanhe as atividades de cada projeto pelo site do DAC.

 

.

 

 

 

 

Facebook Twitter